"Não há nada de quixotesco nem romântico em querer mudar o mundo.

É possível.

É o ofício ao qual a humanidade se dedicou desde sempre.

Não concebo melhor vida que uma dedicada às efervecências,

às ilusões, à teimosia que nega a inevitabilidade do caos e à esperança."

(Gioconda Belli, poetisa nicaraguense)

 

"Recorrendo a técnicas de grande sofisticação poética e plástica, além de munidas de ousadia e até de uma certa “cara-de-pau”, elas, mesmo assim, se aproximam do conhecido, do comum.

 

Ou melhor, fazem-no aflorar e permitem que ele seja visto com olhos novos. Como se fosse preciso mergulhar no desconhecido para trazer, do fundo dele, tudo o que já conhecemos.

 

Quando um inglês de Brighton entra numa cabine telefônica comum, apelidada entretanto de “mágica” e nela, ao invés de proceder mecanicamente a uma ligação, é convidado a desabafar algum sonho secreto e íntimo para uma câmera, ele retira do fundo de si algo que já sabia, mas tinha esquecido.

 

Nós, espectadores, ao assisti-lo, nos lembramos de sonhos e fantasias semelhantes. Algumas pessoas chegam a agradecer às artistas por elas permitirem que uma antiga história reapareça, uma história emudecida, há tanto tempo não ouvida, que até a própria pessoa esqueceu.

 

Com “As Rutes”, alguém quer escutar e a escuta possibilita a narrativa e faz com que a pessoa reconheça que ela também tem uma história."

 

 

(Noemi Jaffe,  sobre o trabalho das Rutes)

 

 

 

 

coletivo As Rutes

coletivo As Rutes

Desde 2007, o grupo desenvolve pesquisa no espaço urbano e no campo mítico das cidades, misturando em sua poética as artes performáticas (palhaço e contador de histórias), as artes visuais e a construção de narrativas. Nas intervenções, o corpo aberto aos possíveis encontros, as relações tecidas, as imagens criadas, as narrativas vividas como uma experiência constituem a pesquisa do grupo sempre em uma busca de viver a cidade como um campo fértil de possibilidades poéticas.

Super Night Shot

Super Night Shot

Vídeo performance do coletivo alemão britânico Gob Squad que desde 2007 circula com performers brasileiros por festivais, teatros e instituições culturais. A performance consiste em transformar a cidade em um set de filmagem para um série de missões fantásticas. Fazendo uso de quatro tomadas únicas produzidas por quatro câmeras, os artistas vivem aventuras nas quais os passantes se convertem em figurantes, amigos e amantes.

Revolution Now!

Revolution Now!

Nesse espetáculo o coletivo Gob Squad interage com os passantes e com o público do teatro na tentativa de compreender e atuar o que entendemos como Revolução. Fui performer convidada na mostra sesc de artes 2012. http://www.gobsquad.com/projects/revolution-now

prêmio | residência artística UK

prêmio | residência artística UK

Cartão Postal foi um projeto incentivado pelo British Council em parceria com o Arts Council. A partir de cartões postais (imagens oficiais) das cidades de Brighton, Londres e Berlim foram traçados percursos poético-performáticos para revelar, tecer e reinventar narrativas sobre o cotidiano da cidade em diálogo com seu campo mítico.

direitos reservados - Cristiana Ceschi

ilustrações do cabeçalho: Beatriz Carvalho